Guia Rio de Janeiro - 8 passeios imperdíveis no Centro do Rio

Guia Rio de Janeiro – Conheça o Centro do Rio de Janeiro

O Rio de Janeiro está passando por uma transformação. A operação Porto Maravilha tem o objetivo de modernizar o entorno do Centro do Rio, substituindo o viaduto da Perimetral, que trouxe degradação para essa área, abrindo caminho para um resgate do patrimônio histórico e arqueológico da área e da qualidade de vida dos moradores.

No momento inicial, para quem está acostumado com a perimetral, principalmente perto da praça XV, nas Barcas, é estranho ver aquela construção toda a baixo. Embaixo, aos sábados, essa parte abrigava a feira de antiguidades da Praça XV.

Além disso, vários artistas e movimentos culturais utilizavam as estruturas como tela. O impacto visual era enorme, como se vê na foto abaixo.

guia-rio-de-janeiro-centro-do-rio

Perdemos alguma coisa, mas ganhamos outras com essa modernização. Outras áreas do Centro do Rio estão se renovando e valorizando, o que faz com que a área se torne ponto de turismo importante, seguro e atrativo.

É uma delícia passear pelo Centro do Rio sábado e domingo. Durante a semana também, porém o ritmo é outro. A caminhada é intensa. Não almoce na hora do almoço – se você sair entre 12:00 e 14:00 a região vira um caos – pois é a hora de almoço dos funcionários de todas as empresas.

Turista que é turista não importa se é segunda, quarta ou sábado. Veja abaixo como você pode começar um Tour agradável pelo Centro do Rio de Janeiro, visitando ruelas históricas, comendo uma saborosa feijoada e visitando os museus com exposições fantásticas.

1) Travessa do Comércio

A travessa do comércio fica perto da praça XV. Comece o seu passeio pelo Arco do Teles, para depois explorar as ruelas do Centro do Rio. Você se sente em um século longínquo. Rua de pedra, sobrados coloridos e antigos, com detalhes apaixonantes.

Olhe a arquitetura, os desenhos nas portas, as obras de arte moderna que você encontra de surpresa pelo caminho. Como é um local turístico, os restaurantes não tem o preço muito baixo, mas pode ser uma experiência provar uma feijoada no local. Divida o prato por dois e tome a sua bebida (gelada) preferida.

Nos finais de semana, tem chorinho em todos os lugares, música agradabilíssima para almoçar ou comer um petisco descansando do passeio. Na última vez que fui, a feijoada para dois era em torno de R$ 66,00.

Algumas atrações da Travessa do Comércio são também a Igreja de Nossa Senhora da Lapa dos Mercadores e a Casa de Carmen Miranda (sobrado nº 13).

travessa-do-comercio-centro-do-rio

travessa-do-comercio-rj-rio-de-janeiro

travessa-do-comercio-centro-do-rj

travessa-do-comercio-rj

2) CCBB – Centro Cultural Banco do Brasil

Ir no Centro do Rio de Janeiro e não visitar o CCBB – Centro Cultural Banco do Brasil é o mesmo que ir em Minas Gerais e não comer pão de queijo! hahaha Gente! CCBB é vida!

Esse imponente prédio histórico, que fica na Rua Primeiro de Março nº 66, é um dos locais mais bacanas para você ver alguma exposição, amostra, passear pela Livraria da Travessa, tomar um café ou simplesmente descansar observando a arquitetura do lugar.

Até o final do mês de setembro, por exemplo, está em exposição obras do Surrealista Salvador Dalí.

centro-cultural-banco-do-brasil-rio

centro-cultural-banco-do-brasil-rj

ccbb-rj

3) Feira de antiguidades da Praça XV

Na feira de antiguidades da Praça XV, você encontra de tudo: Aqueles velhos brinquedos de infância – que faz você encarecidamente dizer: “Ah eu tinha um desse!!”, óculos e acessórios vintage, livros e jornais que são verdadeiras relíquias, discos de vinil, máquinas de fotografia analógicas, roupas, máquinas de escrever coloridas…É uma verdadeira caça ao tesouro!

Uma dica é você nunca dizer que algum item está barato, mas sim pechinchar com o vendedor! Mesmo que o valor caia para R$ 1,00, já é lucro. É uma delícia, nem que seja só para passear pela barracas dos vendedores.

feira-antiguidades-praca-xv

feira-antiguidades-praca-xv-1

feira-antiguidades-praca-xv-2

4) Catedral Metropolitana de São Sebastião

Conhecida também como Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro, essa impressionante construção é localizada na Rua Chile 245. Eu que trabalhei no Centro do Rio sempre passava perto mas nunca entrava.

A correria do dia-a-dia faz a gente ignorar as belezas da cidade. Mesmo se você não for católico, vale a pena entrar na catedral. Ela possui formato de cone, com 75 metros de altura externa. A beleza do local se deve aos vitrais coloridos que vão das paredes até o teto.

Cada um com a sua crença, mas o lugar tem uma boa energia.

catedral-do-rio-de-janeiro

Catedral_Metroolitana_do_-Catedral_Metropolitana-3000000012052-500x375

Foto: Google Bot

5) Uruguaiana / Saara

Lembro que quando fui a Chinatown em Nova York, pensei: “Chinatown é uma Uruguaiana piorada!”. Desculpa, mas ninguém tira a majestade da Uruguaiana e do Saara. São duas áreas próximas de comércio popular.

A programação da rádio Saara é a mais divertida, presta atenção! Se você não gosta de multidão e muvuca, não vá para lá. Mas se você gosta de feira, lojas diferentes e populares, quer procurar algo de artesanato/decoração ou quer beliscar um pastel ou quibe árabe de primeira, esse é o lugar perfeito.

Dia de semana, fica aberto até 20h mas no sábado só até 14h. Existe um aplicativo muito bacana para você não se perder: Meu Saara (Google Play e Apple Store)

saara

Foto: Time Out

6) Theatro Municipal

Uma vergonha na minha existência é que eu trabalhei do lado do Theatro Municipal e só o frequentei 1 vez na vida. Está certo que na época estava acontecendo uma grande reforma nele, mas ainda peguei a inauguração. Aquela águia la de cima que parece pequena, eu vi ela no solo, gigante. E quanta história tem cada pedaço da arquitetura do teatro.

Fiz um tour com a Expedição Cultura, que eu vou falar em outro post, que contava detalhes da arquitetura, que há gravado no topo do prédio os deuses do teatro, do vinho, entre outros deuses da mitologia grega. É uma história muito rica de se ouvir e nem todo mundo sabe ou percebe os detalhes.

O lugar é absolutamente lindo internamente, vale a pena assistir uma opera ou ballet. Fui pela primeira vez quando o compositor italiano Ennio Morricone (Cinema Paradiso, Os Intocáveis, Era uma vez no Oeste e comumente é ouvido também nos filmes do cineasta americano Quentin Tarantino) foi se apresentar em um evento de trilha sonora de filmes.

Foi um dos momentos mais emocionantes da minha vida, ver uma lenda como ele tocando ao vivo e ainda no belíssimo Theatro Municipal. O teatro disponibiliza uma visita guiada para quem quiser conhecer a história e o local. Terça à sexta 11h (exclusivo para alunos de escolas), 12h, 14h, 15h e 16h. Sábado e feriados 11h, 12h e 13h. O ingresso custa R$ 10,00 (inteira) e a lotação é de 50 pessoas.

Foto: IG

Foto: IG

Foto: Catraca Livre

Foto: Catraca Livre

7) Biblioteca Nacional

A Biblioteca Nacional fica pertinho do Theatro Municipal. Depois do tour, você pode visitar esse prédio monumental. Não é apenas o prédio que chama atenção, mas também o acervo do local que contém 9 milhões de itens. Segundo a Unesco, é a 7a maior biblioteca nacional do mundo e a maior da América Latina.

O local possui visita orientada. Segunda a sexta-feira – 10h às 17h / Sábados – 10h às 14h visitas de hora em hora. O visitante só tem acesso ao prédio da Biblioteca Nacional após a apresentação de documento de identificação com foto, não esqueça de levar a sua.

Site Oficial: http://www.bn.br/

Foto: Facebook Biblioteca Nacional

Foto: Facebook Biblioteca Nacional

Foto: Facebook Biblioteca Nacional

Foto: Facebook Biblioteca Nacional

Foto: Facebook Biblioteca Nacional

Foto: Facebook Biblioteca Nacional

8) Museu de Belas Artes

Foto: Rio and Learn

Foto: Rio and Learn

Um passeio que vale a pena. Lembrei do Museu mais fantástico de Nova York, o MET (Metropolitan Museum of Art), em menores proporções. O núcleo inicial da coleções do museu, tal qual ao da Biblioteca nacional, é originada da vinda da família real portuguesa ao Brasil, por conta da invasão francesa a Portugal.

A arquitetura inicial seria inspirada no museu do Louvre, na França, mas seu desenho mudou e hoje tem vários estilos espirados na Renascença francesa, Renascença italiana e Neoclassicismo.

Algumas das obras expostas no museu são:
– Pedro Américo: A batalha do Avaí – Que possui uma altura impressionante de 600 x 1100 cm.
– Jean-Baptiste Debret: Dom João VI em trajes de sua aclamação.
– Victor Meirelles: A Primeira Missa no Brasil, 1861.
– Rodolfo Amoedo: Último Tamoio, 1883.

Site Oficial: http://www.mnba.gov.br/

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Guia Rio de Janeiro – 8 passeios imperdíveis no Centro do Rio
Avalie esse Post

Posts que você pode gostar