Roteiro para Curitiba - 7 dias - Parte 2

Monte um roteiro para Curitiba – Paraná

Curitiba no Carnaval

Dizem que Curitiba faz pouco sol. Um motorista mesmo disse que de 365 dias no ano de 2016, só fez sol em 100 dias. Mas quando tem sol Curitiba arrasa. O dia fica muito lindo, a vontade de ir nos parques é imensa.

Não alugamos bike para andar na rua, mas tem uma empresa chamada Kuritbike que oferece o aluguel das bikes.

Além disso, vários hotéis tem esse serviço. É o melhor. Vimos bike do hotel Radisson, Mercure e até no Curitiba Go Inn (mas elas estavam em manutenção).

Veja o mapa de ciclovias de Curitiba, clicando aqui.

centro de curitiba

3º dia
Feira do Largo da Ordem
Centro Histórico
Feira de carros antigos
Mercadoteca

Domingo é dia de feira – Feira do Largo da Ordem. O ideal é ir bem cedo porque a feira fica bem cheia. Começa de 9h até 14h. Basicamente a feira tem artesanato local e algumas barracas de comida.

No meio da feira tem a Mesquita de Curitiba. Para entrar, os homens tem que tirar o sapato e as mulheres além de tirar o sapato tem que colocar um véu. As visitas são feitas aos domingos de 10h às 13h30. Fica na Rua Dr. Kellers, 383, bairro São Francisco.

Se você gosta de carros antigos, na Rua José Bonifácio – de 7h às 13:30h, a rua é fechada para os colecionadores exibirem suas peças.

Depois fomos almoçar no Mercadoteca. É um polo gastronômico que vale a pena ser visitado. Tem comida para todos os gostos com preço justo. É um local bem agradável para almoçar ou jantar. Está em dúvida do que comer? Vai no Mercadoteca! Comida mexicana (Tacontainer), Comida árabe (Al Baba), Frutos do Mar (Peixe in Box), Doces e café (Degusto Café), Churrasco (100% angus), Doces portugueses (Doce Fado), Comida japonesa (Fujii Box), Vino! Bar (vinhos), entre outros.

Mercado Municipal Curitiba

4º dia
Bosque do Alemão
Unilivre e Bosque Zaninelli
Mercado Municipal de Curitiba

O Bosque Alemão é uma trilha que fica no interior de um bosque que conta a história de João e Maria dos irmãos Grimm através de painéis em azulejo. Existe também a casa da bruxa (no local funciona uma biblioteca), uma réplica de uma igreja presbiteriana de estilo neogótico.

No final da trilha encontra-se um pórtico que reconstitui o frontão da Casa Milla que representa a arquitetura da imigração alemã.

Na Unilivre (Universidade Livre do Meio Ambiente) e no Bosque Zaninelli encontram-se um paredão de pedras lindo, um lago, uma estrutura de madeira que leva você até o alto de um mirante e um mini auditório de pedra. Lindo demais! Local pequeno mas vale a pena visitar.

Já o Mercado Municipal de Curitiba me surpreendeu. É um lugar que tem desde lojas de legumes/frutas, pimentas (com um aviso enorme de que são as mais ardidas do mundo), vinhos, cervejas artesanais, artigos japoneses (essa parte eu adorei, tipo Liberdade em São Paulo) e outras do gênero. Dá para se deliciar com um suspiro a três reais e comprar outras guloseimas.

Na parte de cima, tem vários restaurantes, mas eles estavam fechados por causa do Carnaval.

viagem curitiba

5º dia
Praça do Japão

Ybakatu Espaço de Arte
Rua das flores
Centro da cidade

A Praça do Japão é uma ilha em meio a cidade que te transporta para um pedaço do Japão. Lá você encontra um local cheio de verde, lagos artificiais, quedas d’água, um memorial, um buda meditando e uma típica casa japonesa, que funciona um centro cultural que homenageia o país. Leve repelente porque lá estava cheio de mosquitinhos rs.

Se você gosta de arte contemporânea, passe no Ybakatu Espaço de Arte, que fica pertinho.

A Rua das Flores tem história em Curitiba. Ela foi a 1ª avenida do Brasil fechada ao trânsito de veículos, no ano de 1971. O objetivo era ter espaço para a circulação livre dos pedestres. O calçadão foi uma solução de urbanismo da cidade. Por causa das casas com jardins floridos, a rua ganhou o nome de Rua das Flores. Ela agora possui flores apenas nos canteiros.

É uma rua cheia de comércio, bem centro da cidade mesmo. Como toda rua de centro grande, tem que tomar cuidado com seus pertences, apesar de Curitiba ser uma cidade bem segura.

Passeie a pé pelas ruas, de preferência durante a semana, que as lojas estão abertas. Final de semana as lojas ficam fechadas. É bom conhecer também o comércio local e observar os curitibanos no seu dia-a-dia.

Museu egípcio Curitiba

6º dia
Museu egípcio
Ca’dore – Comida Descomplicada

Os dois locais ficam próximos um do outro. São apenas 6 minutos de caminhada.
Site do Museu Egípcio – http://museuegipcioerosacruz.org.br/ 

7º dia
Dia livre

É sempre bom deixar um dia livre para visitar algo pertinho do hotel, comprar souvenirs, descansar um pouco da andança ou visitar novamente um ponto turístico que você gostou muito! Espero que esse roteiro de Curitiba tenha atendido as suas expectativas! Pelo menos ele será um começo para você começar o planejamento da sua viagem.

Veja a parte 1 desse roteiro, clicando aqui.

Quer ir para Curitiba com os melhores descontos?

Hotéis em Curitiba com melhor preço, clique aqui.

Faça seu seguro viagem com um super desconto, clicando aqui. Use o cupom FORADECASA5.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts que você pode gostar