Brooklyn e Coney Island - Dicas de Nova York

Brooklyn e Coney Island

No segundo dia de viagem, no Domingo, fomos no BROOKLYN! Nós sempre pegamos a barca do Pier 17 – de metrô. Você pode descer na estação de Wall St. Compre o bilhete para Williamsburg.

O dia estava bom, com sol e vento…daquele jeito que eu adoro. Fomos na loja de bicicletas Ride Brooklyn (em frente a feirinha) e perguntamos ao vendedor como seria o passeio de bike – ele nos disse que ia ser mais longo do que a gente planejava – e como pegamos a barca tarde – não ia dar para curtir a feira e arredores e voltar a tempo. Passeio de bike abortado.

brooklyn

dicas-nova-york

indo-para-o-brooklyn

Fomos então almoçar na feira, cada lugar é uma surpresa! O nome da feira gastronômica é Smorgasburg. Comemos de primeira uma pizza no forno de pedra na Pizzamoto – as pizzas de lá, desde as marcas mais conhecidas até feiras e pé sujos, são uma delícia…impressionante. A pizza era 5 dólares.

Depois ficamos passeando nas barracas de artigos vintage, bicicletas, roupas, placas pintadas com estêncil, móveis, discos de vinil. É o paraíso dos hipsters rs. Mas é tão gostoso, de verdade. Depois fomos fazer umas comprinhas na Gnome Enterprises – 2 camisas e 3 imãs de geladeira – o valor de cada camisa de adulto é $25 e os três imãs $10.

camisas-feira-brooklyn

feira-gastronomica-brooklyn

Depois a fome bateu de novo e comemos no Cemitas, que servia hambúrgueres mexicanos. O preparo dos sanduíches era quase um ritual samurai. Eu fiz um vídeo e depois vou editar para mostrar aqui, figuraça! Era bem grande, dividido em dois, gostoso também.

Para acompanhar, resolvemos tomar um chá gelado tailandês com geleia de lichia. Confesso que compramos mais pela jarra que íamos ganhar hahaha O valor? $5 – ô chá delicioso! O melhor eram as bolinhas de lichia que ficavam no fundo do copo rs. Essa parte da comilança que eu adoro também em Nova York, a gente vai em uma feira gastronômica e vê comidas diferentes e deliciosas. Como existe gente de toda parte do mundo, cada um contribui com a sua receita! Quem não for nessas feirinhas gastrônomicas está perdendo boa parte do Brooklyn, eu recomendo demais. Às vezes comemos em um lugar diferente, com tempero diferente e nosso estômago pode reclamar, é verdade, mas das três vezes que comi lá, nada me fez mal. Tudo aparentemente de ótima qualidade.

sanduiche-mexicano-brooklyn

juice-feira-brooklyn

Coney Island

Bom, depois de almoçar e passear fomos para o nosso caminho rumo a Coney Island. Não estava no roteiro da primeira viagem, mas para quem se programar legal – chegando cedo em Smorgasburg – é totalmente viável visitar também Coney Island. Eu acho que vale a pena.

Li em blogs que era sem graça e não valia o passeio, mas eu gostei totalmente, porque adoro parque de diversões. A paisagem também é linda. A dica é ir no site do parque para ver se ele está aberto, porque acredito que quando está fechado o lugar pode ficar deserto, pois tudo em volta gira em torno dos dois parques: Deno’s Wonder Wheel e Luna Park.

parque-coney-island

COMO PEGAR O METRÔ NO BROOKLYN PARA CONEY ISLAND

– Linha L em Bedford St (cinza) e você desce na Lorimer St (a próxima parada)

– Depois pegue a Linha G (verde) e desça na Church St

– Depois pegue a linha F (laranja) para Coney Island

Esse percurso todo é de 30 a 40 minutos.

Saindo do metrô você já encontra parte do parque. Atravesse a rua e você irá encontrar uma loja imensa de doces. Depois siga para um calçadão enorme que tem pertinho da praia, com lojas e lanchonetes. No dia que fomos estava ventando a beça e o sol estava fortíssimo. Muita gente – turistas e nativos – passeava em Coney Island.

calcadao-de-coney-island

coney-island-dicas-de-nyc

coney-island-dicas

coney-island-brooklyn

dicas-de-coney-island

Fizemos um lanche no Nathans, dizem que o cachorro quente é tradicional. É gostosinho, mas nada demais. O refrigerante é giga. Quer pegar ketchup e mostarda? Basta ir na barraca em frente, de auto-serviço (melhor do que aqueles saquinhos mixurucas que nos dão nas lanchonetes de fast-food). Os lugares para sentar são concorridos, então pegue seu lanche e sente-se nos bancos ao longo do calçadão e fique de olho em uma das gaivotas do local, para que elas não roubem seu lanche. O vento estava tão forte que as pobrezinhas estavam voando em slow motion.

Depois, fomos rumo ao parque. Não tem montanhas russas gigantes no estilo de Orlando na Florida, mas mesmo pequenas parece que divertem quem nelas está. Tem brinquedo para todos os gostos e estilos – dos mais calmos aos mais agressivos. Quem tem medo de altura e velocidade passa longe do parque de Coney Island hahaha! Além disso tudo, o lugar estava todo decorado com o clima de Halloween! Não faça como eu, compre créditos e divirta-se como uma criança.

Pedindo uma bebida em Nova York

Depois voltamos para a rua Bedford. Perdemos o horário do Fleas & Artists (snif!) e resolvemos ir em um barzinho do Brooklyn. A verdade é uma só, todos os bares são “old school”, ou seja, se gradue antes em drinks antes de sentar em um bar nos Estados Unidos! Aqui no Brasil o que eu mais bebo é cerveja preta malzebier e de vez em quando algum drink (muitas vezes Piña Colada). Nunca sei o que pedir. E não esqueça a carteira de identidade porque menor de 21 anos não bebe mesmo nos bares. O bar que nos acolheu melhor foi o Spike Hill Williamsburg, que fica nos números 184 e 186 da Bedford Avenue.

spikehill-brooklyn

spikehill-brooklyn-cerveja

dica-de-coney-island

Tem o balcão do bar, para aqueles fãs de futebol americano (estava passando um jogo importante no dia), mesas reservadas e um local que tem show ao vivo. A garçonete Zizi (se eu não me engano, não entendi seu nome) foi super atenciosa com a gente, disse que tinha amigos no Brasil. Comida barata e bebida boa (pedimos batatas e cebolas fritas – o valor de cada era $3.75). Eu tomei um cosmopolitan, que ela me sugeriu e Ruben tomou uma cerveja preta. Música boa (rock, rock alternativo). Um lugar muito bom mesmo, recomendadíssimo.

Saindo do bar, um aglomerado de pessoas nos chamou a atenção. Estavam todos atentos a um caminhão velho e pixado na esquina, com um cenário montado dentro com plantas, cachoeira, arco-íris…Presumo que seja a instalação de algum artista do Brooklyn. Policial parou e perguntou de quem era o caminhão. Se alguém soubesse, com certeza não ia falar.

UPDATE: O caminhão encontrado no East Village é do artista Banksy, notório artista britânico cujos trabalhos em estêncil são facilmente encontrados nas ruas de Londres e outras capitais do mundo. Suas obras são carregadas de conteúdo social expondo claramente uma total aversão aos conceitos de autoridade e poder. A área interna do caminhão foi transformada em um jardim móvel e o veículo estará em locais diferentes durante todo o mês de outubro. A instalação oferece calma e possui uma cachoeira artificial. Você ainda pode ouvir um guia de áudio ligando para o telefone 1-800 656 4271 # 3.

banksy-truck-new-york-city-2013

banky-in-new-york-better-out-than-in-october-2013

Coisas que só acontecem na noite do Brooklyn.

Para ler ouvindo:

2 Comentários

  1. Mariel L.

    Oi Mariana,
    Acabei de conhecer o blog e me apaixonei! Gostei muito das dicas =) me ajudaram bastante a planejar minha viagem. Tô indo agora em outubro pra NY e ta difícil planejar… MUITAS coisas pra ver e fazer na cidade heheh.

    Parabéns pelo blog 🙂

    Responder
    • foradecasa

      Que bom Mariel! O objetivo é esse mesmo, sempre ajudar! Obrigada! Tenha uma ótima viagem, NY é fantástica!!

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Summary
Brooklyn e Coney Island - Dicas de Nova York
Article Name
Brooklyn e Coney Island - Dicas de Nova York
Description
Dicas de Coney Island. Lá existe um pier enorme, um parque de diversões e diversas lojinhas!
Author
Publisher Name
Fora de Casa
Publisher Logo

Posts que você pode gostar